terça-feira, 9 de abril de 2013

Meus dias são de par em par

G3209E828AEEF4C38A8423111D0AA999CDemorei muito tempo para entender o que significava a frase da música do Cazuza. Tinha uma vaga ideia do que pudesse ser, sempre relacionei a frase com seus vícius, muito influenciado pelo seu filme, que infelizmente não mostrou tudo que o Cazuza era, e acabamos o considerando um pervertido, porra loca. Ele era genial e como todas pessoas que entenderam parte da alma humana, teve que se jogar na vida, e como todo bom poeta, sofreu. A dor parece nos extrair os sentimentos mais podres. O ódio, por exemplo, nasce da dor, e continuamos seguido feridos, dilacerados e quanto mais nos afundamos mais entendemos os outros. Eu parei de odiar e passei a ter compaixão, todos nós estamos passivos ao inferno aqui na terra. Parei de apontar o dedo e me perguntei se quem deveria melhorar não era eu?

"Cansado de correr na direção contrária..." Não sei exatamente o que Cazuza quis dizer com isso, mas sempre levo para o lado de correr contra a correnteza, pensar diferente é realmente cansativo, por vezes acho melhor ficar quieto, me fazer de ignorante, respirar fundo, dar um sorriso e pasar a vez de opinar, sinto como se não valesse a pena.

Mas "ainda estão rolando os dados, poque o tempo não pára". Ainda posso viver e tavez ver a mudança que tanto quero. O horizonte é cinzento e não existe transformação fácil. Estamos acostumados, acomodados com a vida medíocre (mediana).  Tem de haver tranformação profunda e ela só vai vir com muita dor, resta saber se vamos conseguir fazer isso sem ódio. Devemos começar por nossas piscinas. Eu já estou tentando limpar a minha.

Denison F. Vieira

Nenhum comentário :

Postar um comentário

"O sucesso normalmente contempla aqueles que estão ocupados demais para procurar por ele"