quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Já viu um “Homem Talvez” por aí?

Quem convive comigo já deve ter ouvido a palavra podcast em alguma conversa. Resumidamente um podcast é como um programa de rádio só que em MP3, onde você pode baixar para ouvir no MP3 player ou no próprio computador.

Escutando um dos vários podcasts que acompanho me deparei, através do Café Brasil, com um texto de Mia Couto, biólogo e escritor moçambicano, que escreveu sobre o “Homem Talvez”.

A seguir trecho do texto:

...

O “homem talvez” descobriu uma área mais rentável que a especulação financeira: a área do não deixar fazer. Ou numa parábola mais recente: o não deixar. Há investimento à vista? Ele complica até deixar de haver. Há projeto no fundo do túnel? Ele escurece o final do túnel. Um pedido de uso de terra, ele argumenta que se perdeu a papelada.

Eis a sua filosofia: a melhor maneira de fazer política é estar fora da política. Melhor ainda: é ser político sem política nenhuma. Nessa fluidez se afirma a sua competência: ele sai dos princípios, esquece o que disse ontem, rasga o juramento do passado.

O “homem talvez” aprendeu a prudência de não dizer nada, não pensar nada e, sobretudo, não contrariar os poderosos. Agradar ao dirigente: esse é o principal currículo. Afinal, o “homem talvez” não tem ideia sobre nada: ele pensa com a cabeça do chefe, fala por via do discurso do chefe. E assim o nosso amigo se acha apto para tudo. Podem nomeá-lo para qualquer área: agricultura, pescas, exército, saúde.

...

Certamente me enquadro em alguma característica citada, mas não chego a ser um “Homem talvez” completo. Em compensação em está cheio desse tipo de gente. Pessoas medíocres estão por toda parte.

Se por acaso você se enquadrou na descrição, não desista ainda da tempo. Acorde! E pare de torcer rosto para o texto.

Se por acaso você se identificou com alguma coisa, mas achou fácil concertar. Parabéns! Você está no caminho certo.

Por Denison F. Vieira

Nenhum comentário :

Postar um comentário

"O sucesso normalmente contempla aqueles que estão ocupados demais para procurar por ele"