quarta-feira, 15 de junho de 2011

Rosto do homem, Rosto de Deus.

A humanidade na busca pela eternidade pelas coisas divinas vive em constante
procura por uma experiência mística, concreta e verdadeira com o ser criador, “Deus”.
Sinais dessa procura é o surgimento de novas expressões de fé e religiosidades.
Quando menos esperamos inaugura-se uma igreja, seita ou comunidade, uma sede de
uma nova entidade religiosa.

Esse surgimento de novas igrejas e novas comunidades na igreja católica fez
emergir uma nova tendência de mercado: shows, lojas com produtos religiosos, missas
virtuais, cultos e missas de cura e libertação,acendendo até mesmo uma vela via SMS
(mensagem de celular), colaborando para o aumento da idolatria, do individualismo,
comodismo, consumismo, fazendo da missão uma negociação, oferecendo o “sagrado”
por um preço, pregando um Deus de troca, muitas das vezes um Deus que condena e
exclui.

Jesus, o jovem Nazareno em nenhum momento cobrou preço algum para curar
ou libertar. Sua metodologia era o acolhimento sem distinção de raça, nem crença,
sexualidade ou origem, Ele acolheu a mulher adultera (João 8,1-11), hospedou-se na
casa de Zaqueu (Lucas19, 1-10), curou leprosos (Lucas 17,11-19), repartiu o pão (
Mateus 14,13-21), caminhou lado a lado com seus discípulos (Lucas24,29-31). Sua
vocação era fazer a vontade daquele que o enviou, seu diferencial era a vivência diária
diante do seu criador, saboreando sua mística, pregando e vivendo a arte de amar. Sua
moeda era a liberdade da busca e do encontro, sua casa era o mundo.

Em uma sociedade baseada pela lei do TER e PODER, como contemplar o rosto
de Deus? Onde encontrá-lo se o mascaramos? Como fazer adesão a um projeto de
transformação que nos convida pela liberdade e pela gratuidade a sermos sinais do
Reino aqui e agora?

Por tanto, desde o principio Deus revelou sua morada a humanidade: “Façamos o
homem à nossa imagem e semelhança” (Genesis, 1,26). Quem deseja encontrar-se
verdadeiramente com ele esteja pronto para reconhecê-lo em cada homem e em cada
mulher. Esteja aberto ao acolhimento aos empobrecidos e aos que estão as margens do
caminho.

Messias Pinheiro

Nenhum comentário :

Postar um comentário

"O sucesso normalmente contempla aqueles que estão ocupados demais para procurar por ele"