segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Entrevista: Elisa Marta coordenadora da Pastoral da Criança em Piquet Carneiro

Como começou a Pastoral da Criança em Piquet Carneiro?
    Anteriormente já havia acontecido uma experiência quando as Irmãs moravam aqui, a irmã Conceição deu inicio lá em Ibicuã, mas nunca aconteceu à capacitação. A pastoral nunca se efetivou. Só a partir de 2008 com a chegada dos missionários Carol e Xavier que tivemos o primeiro grupo de Líderes capacitados e no mês de junho demos início as atividades.
Qual foi a maior dificuldade no começo?
    A mesma que enfrentamos ainda hoje, poucas pessoas que aderem para que possamos cobrir as metas de cobertura. Nós temos poucos lideres para o quantitativo de crianças que tem no município. Seriam necessários cerca de 80 lideres para a cobertura de 100% do município.
A Pastoral tem quantos lideres?
    52 capacitados desde março 2008. Atuando são 41 lideres. A nossa cobertura está em torno de 25%. É um bom numero, na diocese somos 2º lugar em cobertura de metas.
Quais suas expectativas futuras para Pastoral? Há um planejamento?
     Lá em Iguatu reunidos com a coordenadora nacional, Irmã Vera que veio para festejar o fato ter atingido 10% de cobertura. Há três anos ela fez essa promessa de vir quando Iguatu tivesse alcançado 10%. Ontem foi lançado um desafio para quem estava lá. Ela voltará em 2012 se a Diocese atingir os 20% de cobertura. Em 2012 nós sonhamos que Piquet Carneiro possa está com 50%. Sobre o planejamento, todo ano nós realizamos a Assembléia Paroquial da Pastoral da Criança. Nessa assembléia nós avaliamos o ano e traçamos as metas para o ano seguinte. Na última assembléia ficou decidido fazer as capacitações nos três distritos do município. No Mulungú e Ibicuã, em ambos nós já temos lideres capacitados.
Qual a aceitação das mães? O que é mais difícil na relação das mães com a Pastoral?
    O líder da Pastoral da Criança tem três atividades mensais. A visita domiciliar onde nós fazemos o
imageacompanhamento das ações de saúde, educação e cidadania. A celebração da vida que acontece uma vez por mês, que é quando juntamos todas as famílias de uma comunidade e lá nós temos o momento de oração, um momento de brincadeira com as crianças e enquanto as crianças brincam as mães assistem a uma palestra. Um dos compromissos é o acompanhamento do peso que acontece também na Celebração da Vida. A Pastoral foi criada para combater a desnutrição e mortalidade infantil. Hoje está bem diferente, nossas preocupações são mais com uma alimentação nada saudável que vemos muito. Temos poucos casos de crianças desnutridas, mas temos muitos com sobre peso e até obesas. E a outra atividade é a Reunião de Reflexão e Avaliação que acontece só com os lideres. Nessa reunião que tomamos o conhecimento da aceitação da Pastoral pelas famílias. Nesse momento o que os lideres mais manifestam é a receptividade das famílias na visita domiciliar. Nenhum líder nunca recebeu “porta na cara” nesses dois anos e dois meses.
Mesmo não conhecendo ou é de senso comum que a Pastoral existe?
    É de senso comum entre as mães.
Você acredita que as outras parcelas da sociedade conhecem o trabalho da Pastoral da Criança?
    Não. Muita gente desconhece e até por esse fato não valoriza. Nós não temos por parte de alguns setores da sociedade esse reconhecimento do trabalho da Pastoral.  
Como a Pastoral é mantida?
    Os lideres da pastoral são voluntários. Nenhum líder recebe coisa nenhuma para desenvolver esse trabalho. Nós recebemos recursos que vem do Ministério da Saúde. Além de ser da Igreja Católica a Pastoral também é uma ONG (Organização Não Governamental). Inclusive é a ONG mais respeitada no Ministério da Saúde por ser a única ONG que não tem problema com prestação de contas. Nós não recebemos recursos fixos ele depende do numero de crianças acompanhadas no mês. O maior valor que já recebemos foi R$ 180,00. Às vezes ficamos dois meses sem receber.
O que aconteceu na Pastoral da Criança depois da morte da Dr. Zilda? Mudou Alguma coisa?
    Para realidade de Piquet Carneiro não mudou muita coisa não. A nível nacional a Pastoral ganhou mais visibilidade. Quando usamos a camiseta (em homenagem a Dr.Zilda em que aparece segurando uma criança) nos perguntam “quem é esse bebê”. Algumas pessoas têm confundido a Dr. Zilda com a Fransquinha Gomes. Risos.
Você a considera um mártir?
    Não considero um martírio e sim um exemplo a ser seguido. Desde os 17 anos ela queria ser médica para ajudar os outros.  Hoje em dia nenhum adolescente de 17 anos escolhe a profissão porque quer ajudar, e sim a que está rendendo mais no mercado. A juventude está muita agredida pelo ter. As pessoas não estão se preocupado muito com a ética na hora de adquirir esse ter. Nós vivemos condenando a juventude, mas aqui em Piquet Carneiro 90%, e acredito que 70% na diocese, dos lideres foram ou ainda estão na Pastoral de Juventude do Meio Popular (PJMP). Pe. Jaime fala que a Pastoral da Criança é a mais atuante, mas na verdade todos nossos lideres estão em outros movimentos ou pastorais como, Liturgia, ECC, Catequese e etc... Em nossa primeira capacitação os missionários perguntaram o porquê queria entrar na pastoral da criança? Eu disse e repito até hoje. Eu não acredito que ser cristã é só ir à missa no final de semana e acabou. Fazer a confissão uma vez por ano. Isso não me satisfaz como cristã. Eu vejo muito aquele texto de Paulo que diz: “A fé sem obras é vazia”. Se eu sou de fé eu tenho que dar testemunha da minha fé.
Você não acha que o discurso da igreja ficou para traz? As Pastorais sociais vieram para tentar suprir uma deficiência da igreja? Nós vemos muito o foco no espiritual, mas na verdade a alma humana está dentro do corpo físico...
    É exatamente por isso que eu decidi ser líder da Pastoral da Criança. Se alimentar espiritualmente só para mim e não enxergar o outro ao meu lado que precisa da minha ajuda. De que me serve?
Marta o que nós podemos fazer para ajudar a Pastoral da Criança?
    O fato de colocar no jornal, que é bem lido no município, já é uma excelente ajuda. Nós precisamos muito de divulgação. Nosso programa é pouco ouvido. Programa Viva a Vida, Veiculado sábado pela (Radio) Tempo às 11h00min. Quem quiser fazer uma experiência procure uma das Líderes. Pode procurar a Keilhiane (Presidente do Conselho Tutelar) que é a mais conhecida. Ela pode indicar quem está mais próximo. Recurso financeiro... Na Celebração da Vida a gente costuma oferecer um lanche, mas nem sempre as mães têm condições de ajudar. Essa contribuição do lanche seria válida. Brinquedos também, brinquedos educativos.
(Essas doações podem ser dadas aos líderes ou na Casa Paroquial.)
Suas considerações finais.
    Faço um apelo. A Pastoral da Criança é uma ONG, Mas antes ela é uma Pastoral. Para a pessoa que quer ser verdadeiramente cristã.  A Pastoral da Criança é o melhor lugar para ela exercer esse cristianismo.

image


Por Dênison F. Vieira

Nenhum comentário :

Postar um comentário

"O sucesso normalmente contempla aqueles que estão ocupados demais para procurar por ele"