quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Seja uma Janela

Pag. 04     A Revista Carta Capital declarou publicamente em seu editorial apoio a candidata Dima Roussef a Presidência da república. Um feito inédito em um país onde se incentiva a imparcialidade (Leia-se, esconder a parcialidade) permitindo assim o jogo do poder e a promiscuidade das mídias, que só acontecem por baixo dos panos.

    Seguindo o exemplo dado por Carta Capital e permitindo que você tenha uma visão mais clara dos textos que serão apresentados nesta coluna, farei uma descrição do meu perfil ideológico e político.

    Sou de esquerda por natureza, mas não concordo com o radicalismo pregado durante anos pela extrema esquerda brasileira, minhas convicções no neoliberalismo são abaixo de zero.

    Acredito no governo atual, mas Lula sai do governo devendo três reformas, a agrária, a tributária e a política. A essa altura já sabemos quem vai ganhar as eleições, resta saber quem vai tomar o lugar da oposição que se enfraqueceu nessas eleições. 

    Ainda sobre eleições, gosto do jeito progressista com que Cid Gomes governa o Ceará. Pena não poder votar em seu irmão para presidente, embora não entenda sua relação com Tasso, acredito em grande parte das propostas de Ciro para Brasil.

    Está claro que para o Brasil ser administrado sempre vai precisar dos partidos que estão ai caçando nosso voto. Cabe a nós tirar desses partidos pessoas sem compromisso e começar a votar pensando em quem é mais ético.

    Certo amigo meu me disse dias atrás que não gosta de política. Por ser uma pessoa que considero com a inteligência acima da média fiquei preocupado. Se pessoas como você e eu que temos pelo menos o hábito de ler , não ligamos para política, imagina a pessoa que não tem acesso a informação. Pode ter certeza que o corrupto está ligado, e mais, sabe como usar a política a seu favor.

    Por isso aconselho a você leitor que reclama sempre que está tudo errado, que declare seu voto e seja uma janela para o desinformado.

Um comentário :

  1. Este desgosto, meu amigo, é fácil de ser explicado. Hoje o que se faz é politicagem e não política. As alianças políticas nada mais são do que acordos financeiros, troca de favores.

    Como fruto dessa mutação (política - politicagem) temos várias aberrações éticas, dentre as quais destacamos o tão famoso mensalão. Mas que fique bem claro, mensalão não é coisa só do PT não. Só pra lembrar: mensalão do DEM, em Brasília, do PSDB em Minas, inclusive com participação do mesmo Marcos Valério, empresário que participou do mensalão do PT.

    Aquela política idealizada na antiguidade grega se perdeu nas curvas do tempo. Aquela política esboçada por Aristóteles em suas obras "Política" e "Ética a Nicômaco" onde a política era uma representação popular visando o bem comum nunca amadureceu.

    Assim temos deputados que trabalham até altas horas para aprovar projetos que aumentam seus próprios salários e que engavetam projetos de reformas que beneficiam a população.

    É fácil entender porque seu amigo não gosta de política.

    Agefran Magalhães

    ResponderExcluir

"O sucesso normalmente contempla aqueles que estão ocupados demais para procurar por ele"