terça-feira, 23 de março de 2010

Na Idade dos Fortes: Os 80 Anos de Letícia Alves Lucena!

   Mercê  de  Deus, chega, neste mês  de  fevereiro, ao  seu  80º  ano de existência, minha genitora, Antônia Letícia Alves Lucena.
O  autor  sagrado, no  Salmo 89, 10-11, discorrendo  sobre  longevidade, faz-nos uma alerta severa: "Dies  annorum nostrorum in ipsis, septuaginta  anni. Si autem in valentibus, octoginta anni: et  amplis eorum, labor  et  dolor", ou seja: "A duração  de  nossa  vida  é  de  70  anos. E, se somos mais robustos, de 80 anos. E a maior parte deles, trabalho  e  sofrimento."
    Por isso, ouso  afirmar  que mamãe está, a partir de então, inscrita no número dos que - e são poucos! - chegaram à "Idade dos Fortes".
O  NASCIMENTO
    Corria  o  ano de 1930, quando  Deus  quis abençoar o lar do casal  Manoel  Laurindo  Maia (+ 31.01.1955)  e  Maria  Dina  Alves de Lima (+ 28.07.1961) com o advento de mais uma criança. Estes não tardaram a levá-la  à  Pia  batismal, batizando-a, em  nome  da  Santíssima  Trindade, com o nome de LETÍCIA, um termo oriundo do latim, que  significa "alegria".

     Uma escolha tal de "nome", provavelmente explique o comportamento  lúdico e, por consequencia, "brincalhão", de minha mãe: de fato, ela gosta, no seu fraseado, de irradiar alegria e, assim, de divertir  o  seu  interlocutor.
UNIÃO  MATRIMONIAL  E  FAMÍLIA
     O  dia  20  de  janeiro de 1952  chegava ao ocaso - pois já era noite! - quando, na igreja matriz do Sagrado Coração de Jesus, em cerimônia religiosa  presidida pelo 1º vigário de Piquet Carneiro, Pe. Antônio Pinheiro Freire, Letícia  Alves uniu-se, pelos laços sagrados e indissolúveis do Sacramento do Matrimonio, a  Osmar  Pereira  de  Lucena.
    Desta "vida a dois", abençoada  por  Deus, nasceram  seis  filhos: João Eudes (1954), Dionísia (1956), Domingos Sávio (1957), Antônio  de  Pádua (1963), Osmar  Filho (1967) e  Émerson (1972).
EXERCENDO  O  MAGISTÉRIO
     De 1944 até 1963, mamãe exerceu a atividade magisterial, dedicando-se, não obstante as dificuldades da época, à formação, em nível  de  alfabetização  e  ensino  fundamental (até a 4ª série), de crianças  e  adolescentes  aqui  de  Piquet  Carneiro.
    Voltaria a lecionar no final da década de 1970, através do antigo Movimento  Brasileiro  de  Alfabetização.
 ATIVIDADES  NO  ÂMBITO  DA  PARÓQUIA
    Desde cedo, Letícia assumiu, com zelo e dedicação, diversos serviços  na  área religiosa. Sendo assim, incorporou-se ao coral da igreja, chegando, inclusive, a despertar, adolescente  ainda, a "atenção" de Dom Antônio de Almeida Lustosa, então arcebispo metropolitano de Fortaleza, quando a este se apresentou, fazendo parte do grupo de crianças e adolescentes que o foram saudar, por ocasião da Visita Pastoral  que  ele  fizera  a  Piquet  Carneiro, em 1944.
    Por  eleição de seus pares, mamãe secretariou a  Associação das Mães Cristãs de Piquet Carneiro (1952-55) e, em seguida, o Apostolado da Oração (1967-1974).  Nos anos 60 e 70, ocupar-se-ia, também, dos  serviços burocráticos da Secretaria da Paróquia, tornando-se, por extensão dos fatos, uma estreita colaboradora dos padres  Francisco   Alves  Teixeira (1961-65),  Agostinho Paulino de Melo (1966-74)   e  Mons.  Antônio  Alves de  Oliveira (1974-75).
    Em tempos mais recentes, apresentou, no mês de agosto de 2006, ao então administrador paroquial de Piquet Carneiro, Pe. José Batista da Silva, o "projeto" de fundação do Movimento Eucarístico Jovem, o  MEJ, que  é  a "ala"  infanto-juvenil do Apostolado da Oração. 
SERVIÇOS SOCIAIS
    Inclinada aos serviços de natureza social, Letícia Lucena idealizou e promoveu, em 2005, com o auxilio dos comerciantes e do Governo do Município, o Dia do Gari; evento  esse  que, ano  a  ano, tem-se convertido numa oportuna  ocasião  de  reconhecimento  e de gratidão aos garis, pelo relevante trabalho que eles desempenham em nossa cidade.
A MENSAGEM  DO  ESPOSO  E  DOS  FILHOS
    Que, enfim, ao  completar  a  mãe  80 anos, a ela dirão seus filhos? A  ela, dirá eu esposo? Que mensagem possam eles expressar, que  se  tor ne  reflexo  daquilo  que  lhes  vai  no  íntimo  da  alma?
    Pela "dedicação aos seus e à edificação de sua família", ouso afirmar que mamãe recorda a "mulher forte", aquela louvada por  Salomão, no  livro dos  Provérbios: "Quem  poderá  achá-la?" - pergunta o rei,  e adianta: "seu preço excede  a  tudo o que vem de longínquas distâncias  e dos últimos confins da terra (...) reveste-se  de  fortaleza e  verá, risonha, o último dia. (...) Levantaram-se seus filhos e proclamaram ditosíssima. (...) "
    Perdido no turbilhão de meus pensamentos, peço, agora,  auxílio, aos poetas, aos filósofos e,  até aos estadistas, para falar um pouco  mais ' "sobre  mãe",  à  "minha  mãe".

    Escolhi, assim, estas pérolas:

    "Fosse  eu Rei do Mundo, baixava uma lei: / Mãe não morre nunca, / mãe ficará sempre / junto de seu filho / e  ele, velho  embora, / será pequenino / feito grão  de  milho." (Carlos Drummond de Andrade)

    "Deus não podia estar em todas partes ao mesmo tempo, e por isso criou  as  mães." (Georgeimage Washington)
    "O coração das mães é um abismo no fundo do qual se encontra sempre  um  perdão." (Honoré  de Balzac)
    Os  braços de uma mãe  são  feitos  de  ternura e os filhos dormem  profundamente  neles. (Victor Hugo)
    Um homem quer a seu amor mais do que a ninguém; a sua esposa, melhor do que a ninguém; mas, a sua mãe, mais tempo que a ninguém. (W.S. Ross)

Parabéns  Letícia  Alves Lucena
Feliciter!
Ad multos annos!

Por Osmar Filho

Nenhum comentário :

Postar um comentário

"O sucesso normalmente contempla aqueles que estão ocupados demais para procurar por ele"