quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Diferentes na Escolha, Iguais No Amor

     Vivemos numa sociedade que é freqüente a discriminação de pessoas que são diferentes. Aprendemos que o certo e o normal é ser heterossexual. O homem tem que amar uma mulher e a mulher tem que amar um homem.
     Tudo a nossa volta: a televisão, os filmes, as revistas estão sempre mostrando imag2450428ens do casal perfeito. As musicas que ouvimos são quase todas referentes a paixão heterossexual.
    Chega um momento em nossas vidas que é preciso abandonar os conceitos sociais e familiares em que fomos criados. A dinâmica da vida assim o exige.
    Existem pessoas diferentes em todo canto do mundo. Na maioria das vezes não conseguimos distinguir quem é de quem não é. O sentimento de gostar de uma pessoa não é algo que escolhemos tê-lo. O que está ao nosso alcance é a maneira como nos comportamos frente a estas pessoas. Não temos direito de condenar ninguém por ser diferente de nós, o que devemos condenar é o desrespeito e a discriminação que existe com os nossos irmãos.
    Toda a discussão em torno do homossexualismo é antiga e muito complexa. Sabemos que em tempos não muito remotos, o mesmo era encarado como doença. Hoje, no entanto, o próprio ministério da saúde descarta essa possibilidade. Acredito, pois, como alguns estudiosos sobre o assunto afirmam, tratar-se de uma condição humana e não acredito que se trata somente de opção. Os caminhos que levam uma pessoa a assumir-se como homossexual; as formas de expressar sua conduta sexual são as mais variadas possíveis. 
    No entanto vejo que a pratica homofóbica é uma atitude reducionista e excludente daqueles que não sabem conviver com o diferente. Vejo com tristeza que nosso discurso caminha longe da nossa prática. As vezes percebo que pregam uma teoria da exclusão, no seu dia-a-dia manifestam atitudes excludentes, principalmente quando se trata do relacionamento entre pessoas do mesmo sexo, na maioria das vezes para dar satisfação a sociedade a qual trás os resquícios do  preconceito e da discriminação e preferem, de tal forma, conviver com a hipocrisia social a se darem as mãos na luta contra tudo que gera sinais de morte em nosso contexto social.


Ana Maria Vieira de Sousa
Coordenadora da PJMP no Zonal IV

Nenhum comentário :

Postar um comentário

"O sucesso normalmente contempla aqueles que estão ocupados demais para procurar por ele"