terça-feira, 4 de agosto de 2009

Telefonia Estatizada (IV)

Em 1962, houve intervenção federal na CTB. Brizola encampou a CTN (RS). Foi criado o CONTEL para administrar as telecomunicações no Brasil. Em 1964 foi regulamentado o Código Brasileiro de Telecomunicação, pelo EMFA (Estado Maior das Forças Armadas), pois os militares consideravam telefonia como segurança nacional. A Embratel foi criada em 1965, tinha como função agregar as demais empresas e fazer as conexões entre elas, bem como fazer toda comunicação de longa distancia. Mesmo com todo ímpeto de estatização, só em 1972 se concretizou plenamente com a criação do Sistema Telebrás: cada estado uma única operadora; monopólio do estado; políticos substituindo técnicos; autofinanciamento, tudo em nome da segurança nacional. O monopólio estatal durou até 1995, o autofinanciamento pelos usuários de telefones dificultava o acesso da maioria da população. Já as tarifas eram de valor irrisório.
Em 1996 foi votada a Lei Mínima que permitia a iniciativa privada explorar a banda B de telefonia celular, antes só alguns estados dispunham de celular para a população em geral, embora com cobertura limitada: CE, MG, BA e PR se destacaram. Nos demais estados a venda de celular era feita por sorteio do CPF do interessado (fiquei anos cadastrado, cada sorteio era uma nova expectativa que não se realizava). Em 1997 surge a LGT (lei geral das telecomunicações, substituindo o Código Brás. de Telecomunicação). Criação da ANATEL... ... continua...
Jocicler Vieira

Nenhum comentário :

Postar um comentário

"O sucesso normalmente contempla aqueles que estão ocupados demais para procurar por ele"