segunda-feira, 20 de julho de 2009

Piquet Carneiro no "Riquezas do Ceará"



Parte 2
Parte 3
Fonte: Youtube Osmar Filho

sexta-feira, 3 de julho de 2009

FESTA DO PADROEIRO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

Nossa cidade comemorou neste mês a Festa do Padroeiro, que teve início no dia 10 e término dia 19, reunindo todas as comunidades nesse movimento.

São nove noites nas quais cada comunidade, organizações pastorais e populares, classes sociais, se dispõem para arrecadar, organizar e fazer desse um momento especial.

Para comemorar as bênçãos do padroeiro, ano após ano é realizada uma maratona de quermesses, onde são vendidas uma grande variedade de comidas típicas para a população e visitantes, que são atraídos pelos sabores e pelo grande clima de festa em que se converte toda a cidade.

Em meio a essa comemoração o que mais vale destacar é a união de um povo em prol de uma causa. Essa manifestação da fé do povo é realizada anualmente, sendo a cada nova edição superados novos e maiores obstáculos, com muita garra, determinação, enfim, união.

Podemos tirar desse exemplo mais uma lição: “nada é impossível para quem tem objetivos definidos e está disposto a batalhar por eles lado a lado com os seus semelhantes”.

Assim como nada é impossível, devemos levar em consideração também que nem tudo que é normal é necessariamente aceitável. Há duas coisas a se fazer com esse mundo: modificar e preservar; modificar para facilitar as nossas vidas, e preservar para que nele possam habitar as futuras gerações.

A obrigação de oferecer as melhorias para o povo é dos governantes eleitos, mas a necessidade que sejam feitas é do povo. Então, não adianta ficar de braços cruzados esperando que o governo faça algo, enquanto nós é quem sofremos com a ausência de suas iniciativas. O governante, seja municipal, estadual ou federal, é eleito para representar o povo, mas ele não é o povo, portanto cabe aos cidadãos tomar suas próprias iniciativas quando acharem necessário.

O Sagrado Coração de Jesus, imortalizado como Padroeiro da nossa paróquia, foi celebrado em grande estilo, com muita festa e alegria, nos deixando um grande ensinamento: Um povo que trabalha unido e organizado consegue o que quer, pois tudo que existe foi o povo que construiu e não os governantes. Foram pessoas e/ou o seu suor que transformou pensamentos em ações. Ninguém é maior que ninguém, mas um povo unido é maior que qualquer coisa.
Por Cinésio Lima

Entrevista: Dom Frei João José da Costa

gerAção - Já se passou 1 mês desde a sua posse e 3 meses desde a sua ordenação como Bispo da Diocese de Iguatú. Nesse pouco espaço de tempo, que deficiências o Senhor encontrou na Diocese como um todo e quais serão seus principais focos para solucioná-las?

D. João
- Eu não diria assim “deficiências”. Hoje na Diocese de Iguatú eu constato mais um “potencial” do que deficiência; primeiro começando pelo clero, um clero muito animado, jovem, as igrejas sempre muito bem organizadas; também do ponto de vista do rebanho de Deus, tantos leigos engajados com as pastorais, movimentos, catequese. Vejo com muito otimismo e esperança a Diocese como um todo. A consciência dos cristãos católicos é muito profunda, então se você me pergunta desafios eu olharia mais para o potencial que a igreja tem. Claro que também tem seus desafios, como por exemplo: como articular melhor as pastorais, os movimentos em todas as CEB's, depois como realmente se organizar em uma visão de pastoral conjunta, também como se elaborar, e é o meu objetivo, um plano de ação para a Diocese. Neste sentido que eu vejo como desafio, formar um plano e principalmente, implantar em toda a Diocese, que hoje em dia é tão presente em outras dioceses do Brasil, a Missão Continental. Hoje a dimensão missionária é algo muito grande, e acima de tudo fazer com que a igreja de Iguatu viva aquilo que foi instituído em Aparecida no encontro Latino-Americano e Caribenho, de que toda a igreja deve ser uma igreja do discipulado, mas também uma igreja missionária.

gerAção – Com relação à juventude, sabe-se que existem várias pastorais, entre as quais podemos destacar a PJ, PJMP, PJE. Quando o Senhor fala em juventude, como o Senhor vê essa juventude? Qual o papel dela nessa transformação que o Senhor disse que a Diocese precisa?

D. JoãoO plano da Diocese é que a gente articule a juventude como um todo, respeitando as suas especificidades. Quem é da PJMP, PJ, EJC, está muito bom, bem como outras iniciativas. Agora, penso que esse trabalho de forma articulada e integrada será uma grande força para a Diocese. Além do mais, incentivar e despertar na juventude esse desejo, esse gosto, também pelas realidades sociais e políticas. Penso que o momento seria de articular essas forças, esses organismos, fazendo com que essa juventude realmente se engaje no Evangelho concreto neste mundo, transformando essa realidade, não nos acomodando com o mundo como está, nem com a política, nem com as realidades sociais, mas nos comprometendo para que se torne realmente um mundo novo. “A nossa fé deve estar comprometida com a vida. Cada cristão deve ser fermento na massa, sal da Terra e luz do mundo.”

gerAção – A igreja sempre desempenhou um importante papel na formação política dos católicos, e ultimamente de maneira mais intensificada. Ainda assim, a maioria dos eleitores é desinformada e ignora a necessidade de uma pré-avaliação antes do voto, elegendo representantes sem se certificar se o mesmo reúne qualidades necessárias ao exercício da profissão pública. Qual a sua posição a esse respeito? Como a igreja pode contribuir na mudança dessa realidade?

D. João Queremos implantar os programas, as iniciativas para ajudar na formação do Povo de Deus, nunca indo pelo caminho da política partidária. A gente quer ajudar a formar um povo cidadão, e um povo cidadão aprende muito bem a eleger seus representantes. Eu penso que quando a gente forma para a cidadania a gente está fazendo também uma formação política séria e sólida, no sentido de apresentar sempre instrumentos e iniciativas que ajudam o povo a fazer um verdadeiro discernimento principalmente no momento eleitoral, mas penso que a política é uma realidade permanente, inclusive nós temos hoje a grande campanha da Ficha Limpa, justamente para tentar evitar que políticos que estão administrando desonestamente se mantenham no poder. A igreja, a juventude e o povo mais informado, tem que abraçar essa grande causa, no sentido de preparar bem os cristãos e a sociedade nessa formação política, que é uma necessidade para uma sociedade nova, porque se o dinheiro público não é bem aplicado pelos gestores emperra o andamento da sociedade de qualidade. O povo tem que eleger políticos honestos, mas também precisa ser honesto, não dando seu voto em troca de favores. “Eu acredito muito na juventude. Se a nossa juventude de hoje despertasse para tudo isso, nós teríamos num futuro muito próximo um mundo transformado.”

gerAção – Há um ditado que diz “a voz do povo é a voz de Deus”. O Senhor concorda com esse ditado? E, se concorda, acha que o povo está deixando de exercer essa voz?

D. João – Eu tenho a impressão de que nós estamos negligenciando bastante. Se a gente se deixasse levar realmente pela vontade de Deus, a gente deixasse de se levar por vontades próprias, interesses próprios. Você, por exemplo, vota em um governo que vai fazer o bem a maioria, que vai fazer realmente justiça ou porque vai facilitar aqui ou ali, vai conceder emprego, dar determinadas regalias a A, B ou C. Se estamos nos deixando levar por interesses, então não podemos dizer que a voz do povo é a voz de Deus. Que vontade o povo tem? Brota da justiça, da fraternidade ou de interesses pessoais?

gerAção - Como o Senhor vê o movimento ecumênico dentro da igreja? Que avanços e regressões destaca a respeito?

D. João – O ecumenismo é a palavra de ordem. Vai além de uma questão religiosa, e sim um grau de civilidade. Pelo amor de Deus, porque você acredita diferente vai ter que obrigar o outro a ser diferente? Ou tampouco andar falando mal um do outro. A religião foi feita para se viver e não pra se criticar. Eu acho que os católicos não devem, em hipótese alguma, criticar os evangélicos, protestantes e vice-versa. Cada um deve anunciar o Evangelho sem condenar o outro. Isso é uma atitude perversa. Eu acho que um cristão não anda destruindo os outros, mas anunciar a verdade de Jesus Cristo, respeitando a maneira de professar a sua fé. Religião é uma proposta e não uma imposição, e tudo que é imposição não vem da parte de Deus.

gerAção – Durante a sua vida religiosa, qual o maior ensinamento quem adquiriu?
D. João – O meu convívio com os pobres se tornou uma grande universidade. A criatividades dos pobres, que as vezes não tem nada para sobreviver, mas como a esperança é tão forte. Tanta gente que não tem nada, mas com a fé em Deus “eu vou vencer”. Esse contato com os pequenos foi uma grande experiência, tanto no crescimento humano como espiritual pra mim. Também o contato que tive com os detentos nos presídios, me proporcionou um grande aprendizado. O contato com os jovens da Fazenda da Esperança, que mesmo diante do problema das drogas, se seduziram por Jesus, deixando essa vida de drogas pra trás e começando uma nova vida baseada em Jesus.

gerAção – Uma frase.

D. João – “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” – Jesus Cristo.

gerAção – Qual a impressão que o Senhor leva do povo piqueense?
D. JoãoUma impressão muito preciosa, muito boa, muito bonita; de um povo realmente muito acolhedor, simples e, acima de tudo, um povo que vive uma fé muito intensa. É realmente um povo de Deus que leva adiante a sua vida moldada e orientada pela palavra de Deus. Sendo para descrever esse povo eu diria: “um povo corajoso, alegre, animados na forma de se comunicar, de acolher e de celebrar. Penso que seja um grande dom de Deus. Uma comunidade cheia de vitalidade.”


Por Cinésio Lima

Prazer e Responsabilidade nas Relações Sexuais

Hoje os adolescentes iniciam a vida sexual muito cedo, sem entender o por que. Às vezes por problemas familiares, as vezes por curiosidade, por descoberta do próprio corpo, mas isso vem acontecendo de maneira muito precoce. Eles ainda não tem a maturidade para discernir que o ato sexual é ato que deve ser amoroso, que deve trazer felicidade para a vida do jovem e por isso deve ser encarado com muita responsabilidade com o seu corpo e com o corpo do seu parceiro.


Alguns jovens, principalmente as mulheres, carregam uma concepção errada sobre o sexo. Aprendemos que aquilo é negativo, é sujo, não pode ser realizado... Já com o homem acontece o contrário ele é incentivado desde cedo a ter relações sexuais, a se masturbar, a observar o corpo. Ai encontra a primeira dificuldade no ato sexual. As vezes a garota sente um pouco de dor, não sabe exatamente como e onde sentir prazer.

É preciso conversar com essa galera que isso é um processo natural e que aos poucos, eles vão se encontrando como casal. Por isso é importante a intimidade. O que está acontecendo hoje é que os jovens nem se conhecem e já tem relação sexual. É importante conviver, conhecer o aspecto psicológico, a personalidade do outro para enfrentar a primeira crise, que poderá ser muito difícil para o casal. Às vezes o parceiro tem muita experiência e o outro não tem.

O sexo não é o ponto mais importante num relacionamento a dois, ele é um complemento que deve ser sadio e encarado com maturidade.

Ana Maria Vieira de Sousa
Coordenadora da PJMP no zonal IV

LEGISLATIVO

VEREADOR DINÔMEDES

O vereador Dinômedes protocolou 5 requerimentos na Câmara Municipal, no dia 25 de maio de 2009, e hoje estão transitando na Câmara: o requerimento 001/2009 está solicitando ao Executivo a construção das passagens molhadas das localidades: Timbaúba, Folguedo, Riacho dos Breus, duas no Sítio Jurema, Vazante dos Paraibanos, Vazante dos Divinos, Mundo Novo (próximo o Luiz Carlos) e outro no Mandacarú.

O vereador desde o seu primeiro mandato, luta pela construção dessas passagens molhadas, e quem conhece essas comunidades sabe que no período do inverno os moradores ficam praticamente interditados. E é bom lembrar que é um sonho de todos os moradores desta região. Os mesmos esperam que nessa nova gestão os sonhos sejam realizados.

No requerimento 002/2009 o vereador Dinômedes está solicitando ao Executivo a construção de três (3) brinquedotecas. Sendo uma no Distrito de Mulungú, outra no Ibicuã e outra em Catolé da Pista. O objetivo é que com uma brinquedoteca em cada distrito evita o deslocamento das crianças para a brinquedoteca da sede do município e os mesmos terão mais tempo para fazerem uso desses brinquedos.

O terceiro requerimento 003/2009, o vereador solicita do Executivo a transformação do prédio escolar do Sítio Mundo Novo em um Posto de Atendimento a Saúde dos moradores das referidas comunidades: Mundo Novo, Mandacaru, Jurema, Maxixe e Vazante dos Divinos. Este prédio encontra-se fechado desde o processo de nucleação das escolas. Como está em perfeito estado de conservação, é importante o aproveitamento para o atendimento a saúde dos moradores da região.

Já no quarto requerimento, o vereador Dinômedes, solicita do executivo, a construção da Casa do Idoso, na sede do município. Como já existe o Conselho do Idoso, irá facilitar o atendimento às pessoas da terceira idade.

E no quinto requerimento o vereador solicita ao executivo a roça das estradas que ligam Ibicuã a Aba da Serra, Ibicuã a Piquet Carneiro e Ibicuã a Extrema com Acopiara. É que as estradas citadas encontram-se com a mata fechada, dificultando a visão dos motorista e motoqueiros em geral.

VEREADOR BEBETO

Gostaria de lembrar de uma pessoa que tem se mostrado importante para o nosso município: trata-se do Deputado Estadual Antônio Granja. Seu compromisso com a população de Piquet Carneiro é um exemplo histórico. Há sete anos está presente em nossa terra, onde realiza mensalmente seu atendimento médico, atendendo em média de 60 a 70 pessoas, encaminhando muitos para atendimento com especialistas ou cirurgias em Fortaleza.
Ultimamente o Deputado vem se dedicando a trazer obras importantes para o nosso município, como é o caso da reestruturação da Estrada da Zorra, três carros para os PSF’s de Catolé da Pista, Mulungú e Ibicuã, e estamos aguardando uma ambulância nova.
Deputado, saiba que o povo agradece e não esquece!

XANDOCA

O vereador Xandoca se acha extremamente feliz, porque o Prefeito Expedito José do Nascimento, conseguiu os recursos necessários para atender ao Requerimento n° 001/2008, de 04 de novembro, de autoria do mesmo, que visa a construção de calçamento nas ruas: Travessa Joaquim Rodrigues de Paula, Rua Vila Brasil e Rua Bernardino Gomes Silva, no Bairro Piquesinho, e ainda Travessa Zacarias Pinheiro da Silva (ao lado da EEEF. Azarias Fernandes).

Aprovado projeto que cria a figura do microempresário individual

Com a unanimidade de 49 votos, o Plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (3), com emendas, o projeto de lei da Câmara que institui a figura do microempreendedor individual (MEI), o que poderá favorecer pessoas que atualmente trabalham no mercado informal (sem carteira assinada ou outro registro de trabalho), com rendimento anual de até R$ 36 mil. A proposta (PLC 128/08 - Complementar), que teve como relator o senador Adelmir Santana (DEM-DF), retorna para análise da Câmara.

De autoria do deputado federal Antônio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP), o projeto PLP 02/07 - Complementar, na Casa de origem) altera dispositivos da Lei Complementar 123/06, que institui o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte; da Lei 8.212/91, que dispõe sobre a organização da Seguridade Social; e da Lei 8.213/91, que dispõe sobre os planos de benefícios da Previdência Social.

O projeto considera microempreendedor individual (MEI) o empresário individual que tenha auferido receita bruta, no ano calendário anterior, de até R$ 36 mil, e seja optante do Simples Nacional. Esse empresário poderá optar pelo recolhimento dos impostos e contribuições abrangidos pelo Simples Nacional em valores fixos mensais, independentemente da receita bruta auferida por mês.

Também estabelece que esses empreendedores devem fazer a comprovação da receita bruta mediante apresentação do registro de vendas ou de prestação de serviços, ficando dispensados da emissão do documento fiscal. Eles também terão direito à aposentadoria pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) pagando 11% sobre o valor do salário mínimo, o equivalente a R$ 45,65 por mês, e poderão ter um único empregado que receba um salário mínimo (R$ 415).

Em audiência no último dia 25, o ministro da Previdência Social, José Pimentel, defendeu a aprovação da matéria junto ao presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho. Segundo ele, o projeto deverá beneficiar cerca de 10 milhões de pessoas no país que atualmente vivem na informalidade, tais como ambulantes, costureiras, pipoqueiros, donos de bares, artesãos e manicures, entre outras ocupações.

Para Pimentel, a formalização será boa para esses trabalhadores, que passarão a usufruir imediatamente dos benefícios previdenciários, e também para a Previdência Social, que aumentará sua arrecadação. Técnicos do setor avaliam que, em um primeiro momento, a medida deverá contribuir para a formalização de, pelo menos, 30% desses negócios, provocando grandes mudanças no mercado informal.

A proposição permite ainda o direito ao crédito correspondente ao ICMS para empresas não-optantes do Simples Nacional. Esse crédito deverá ser concedido no ato da obtenção de produtos fornecidos por empresas de pequeno porte que fazem parte do Supersimples, com a obrigatoriedade de as mercadorias obtidas serem destinadas à comercialização ou industrialização.

Outra medida prevista no projeto é a permissão para microempresas e empresas de pequeno porte optantes do Simples Nacional realizarem negócios de compra e venda de bens para os mercados nacional e internacional, por meio de sociedade de propósito específico nos termos e condições estabelecidos pelo Executivo federal.

Ao alterar a Lei Complementar 123/06, o projeto aumenta o número de participantes do Comitê Gestor do Simples Nacional, vinculado ao Ministério da Fazenda, que passa a ser composto por quatro representantes da Secretaria da Receita Federal do Brasil, dois representantes dos estados e do Distrito Federal e dois dos municípios. Esse comitê é responsável pelos assuntos tributários dessa legislação.

Discussão

No início da discussão da proposta, Adelmir Santana destacou o apoio recebido pelo projeto de todas as lideranças partidárias e a participação da Secretaria da Receita Federal do Brasil.

- O projeto significará uma revolução na inclusão social daqueles microempresários que hoje se encontram na informalidade. O projeto é consenso de todos nós e beneficiará todo o país - afirmou.

Já o senador José Agripino (DEM-RN) disse que a proposta talvez represente o maior projeto de inclusão sustentável do país, sem a previsão de nenhuma ação paternalista, mas abrindo a oportunidade para a consolidação dos negócios dos microempreendedores.

- Só em São Paulo, serão três milhões de beneficiários - afirmou.

Para a senadora Ideli Salvatti (PT-SC), o projeto representa o complemento de uma futura reforma tributária a ser adotada pelo país.

- Ganham o micro e o pequeno empresário, que agora vai ser reconhecido, a Previdência, a redução da carga tributaria e a inclusão social - afirmou.

A senadora explicou ainda que resolveu retirar emenda que havia apresentado à proposta, transformando o seu conteúdo em um novo projeto de lei (PLS 467/08) que acrescenta outras atividades de prestação de serviços às já passíveis de opção pelo Simples Nacional. A proposição de Ideli será encaminhada à Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), presidida pelo senador Aloizio Mercadante (PT-SP).

Autor: Agência Senado

O Surgimento das Telecomunicações no Brasil

Em 1889, aconteceu a Proclamação da República. Para os sedentos pelo progresso, era um grande momento para o desenvolvimento das telecomunicações. O Brasil não possuía técnicos qualificados e não dispunha de indústrias nacionais, dependendo inteiramente da importação de equipamentos ultrapassados. Poucas empresas concorriam entre si e protegiam-se não repassando informações para países importadores (colonizados). Sessenta anos depois novas concessões aconteceram.

Em 1955 foi criada a CTB* (Cia telefônica brasileira), que funcionou parcialmente nos estados: RJ, SP, ES e MG. Na mesma época surgiu a CTN*(Cia telefônica nacional), PR e RS. Outra operadora se instalou em Pernambuco e sequencialmente outras empresas foram criadas com os mais diversos nomes e proprietários. A maioria com participação de capital estrangeiro. Em 1960, existiam em operação no Brasil mais de oitocentos sistemas de telefonia desconectados e independentes. A CTB também operava longa distância usando micro-ondas. Outras empresas como Radiobrás, usavam sistema de ondas curtas, que também não chegavam a muitos lugares e não permitiam conexões com a maior parte do país, ficando restrito aos estados do Sudeste onde estavam instalados mais de 80% do serviço de telefonia do Brasil.

Não havia uma planta básica nem projetos de integração nacional ao que se refere as telecomunicações. Era quase consensual a idéia de integração através de estradas e transportes.
*CTB (Canadense), CTN (Americana)

Jocicler Vieira

APREENSÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES

APREENSÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES


Um fato que muito ocorre no município de Piquet Carneiro, com número mais elevados na respectiva Sede, é a apreensão de veículos automotores, sobretudo a apreensão de motocicletas.

Os principais motivos que ensejam tal medida administrativa por parte das autoridades de trânsito, que na nossa região realiza-se por meio de policiais civis e militares, tendo em vista a inexistência de um Departamento de Trânsito Municipal, bem como Posto de Polícia Rodoviária competente, são os seguintes: falta/irregularidade de documentação legalmente exigida e devidamente paga no período predeterminado; inexistência de placa identificadora do veículo na respectiva Unidade Federativa; condução por quem não possui Carteira Nacional de Habilitação, assim como condutor sob a influência de álcool ou substâncias psicoativas, outras determinantes de dependência.

Necessária se faz uma conscientização geral de que todas as exigências, cujas previsões legais encontram supedâneo no Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/77) são essenciais tanto para uma devida circulação de veículos e pedestres, o que tem como corolário um trânsito organizado, mas também, e acima de tudo, a integridade física e a preservação da vida tanto dos próprios condutores e de quem os acompanha, como também dos demais condutores e transeuntes.

Assim sendo, um motorista inabilitado, que não passou pelo processo de capacitação das normas de circulação e conduta e de direção defensiva, por exemplo, representa um perigo constante tanto para si como para terceiros.

Ademais um veículo sem a documentação, ou com documentação inidônea traz a incerteza de ter sido adquirida irregularmente, presumindo-se em determinados casos uma obtenção por meios ilícitos ou uma origem criminal.

Conclui-se, destarte, que uma fiscalização de trânsito com aplicação de penalidades (quer sejam administrativas ou judiciais) tem como fundamentos primordiais não só o cumprimento da Lei, mas também e, principalmente, a preservação da vida.

Carla Freitas da Silva
Advogada - OABCE 19.193
Escritório localiza na Rua Zacarias Pinheiro da Silva,
79 - Centro - 1º Andar - Piquet Carneiro - CE

Nossa Estação Ferroviária

PELOS CAMINHOS DA HISTÓRIA - 2 (NOSSA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA)

O surgimento da povoação de Jirau (nome com que Piquet Carneiro ficou reconhecido até fins de 1938) tem a ver, diretamente, com a construção da antiga Estrada de Ferro de Baturiré - EFB.

Com efeito, quando os trabalhos de assentamento da malha ferroviária em tela alcançaram Piquet Carneiro, a contagem do tempo registrava o ano de 1907, e, na data simbólica de 15 de novembro (Dia da Proclamação da República) era, então, inaugurada, nossa estação ferroviária.
Eis, pois, um prédio, que faz parte do patrimônio histórico-cultural de nossa terra, e que, precisa ser "observado de perto", por parte das autoridades locais, no que diz respeito à sua preservação e consequente conservação, visto desfrutar, no curso do tempo, de uma longa vida já: mais de um século de existência!

Aliás, o centenário de nossa vetusta estação (marco, ela, como já o falamos, do aparecimento de Piquet Carneiro no mapa da geografia sertaneja) só não passou, de todo, despercebido, no ano de 2007, graças, modéstia à parte, a um artigo meu, que veio à luz nas páginas do Folha do Sertão. Do contrário...

Ao ler este meu artigo, sei, muito bem, que muitos podem estar se perguntando: e qual a razão para uma preocupação tal, isto é, com um prédio que, a falar a verdade, nem pertence, diretamente, à municipalidade, mas a uma empresa já extinta: a Rede Ferroviária Federal S/A!?

Respondo: para os que têm o sentido da História, essa preocupação tem, sim, sua razão de ser, porque o prédio de nossa estação esconde, nas suas paredes mais que centenárias, nem tanto um traçado arquitetônico digno de nota, mas, sim, todo um conjunto de ações, que, de resto, é reflexo da expressão de vida de um povo, do nosso povo, de todos nós: o momento do embarque e do desembarque de tantos parentes e amigos (talvez, até, quiçá, num gesto de derradeiro "adeus"!); o toque do sino; o apito do trem; a maria-fumaça (depois, paulatinamente, substituída por máquinas mais potentes e sofisticadas, movidas à diesel); a venda de cafés, bolos e tapiocas; o intercâmbio cultural (através da compra de revistas e jornais); o toc-toc do telégrafo (primeiro instrumento de comunicação usado em Piquet Carneiro), etc.

Tudo isso se passava, claro, à beira da linha do trem, à sombra da velha estação, e "está gravado na nossa memória", como diz o saudoso Prof. José Augusto Tôrres na letra, que compôs, do Hino do nosso Município.

Verdade é que a comumente chamada "passagem do trem" era um dos grandes entretenimentos de toda uma geração de pessoas, e assim o foi, desde aquele longínquo 15 de novembro de 1907, no exato momento em que a estação daqui foi, festiva e solenemente inaugurada, até o dia 12 de dezembro de 1988, quando, sob o prefixo SGF 0123, conduzido pela locomotiva GE-U-10B nº 2210-4B, saiu, às 17:05h, da Estação Prof. João Felipe (Central - em Fortaleza), o "último" trem de passageiros com destino ao Crato.

Mister, portanto, faz-se, que a Prefeitura Municipal de Piquet Carneiro retome, e apresse, o diálogo com os responsáveis pela venda da antiga estação ferroviária (diálogo esse iniciado na gestão precedente, mas sem resultados práticos!), e busque, uma vez adquirido o edifício, transformá-lo, quanto antes, num digno espaço de preservação da nossa identidade cultural. É possível? Certamente que sim!

Colocando o "ponto final" desta crônica, sugeriria aos "apaixonados" por trens, como o autor deste texto, a leitura de, ao menos, dois livros, sobre eles, cujos títulos passo a elencar: "ESTRADAS DE FERRO NO CEARÁ", de Francisco de Assis Silva de Lima e José Hamilton Ferreira, Fortaleza, 2007; e HISTÓRIAS DA MARIA-FUMAÇA, inspirada seleção de crônicas, de minha amiga e escritora, Profa. Perpétua Moreira, residente em nossa cidade.

Osmar Lucena Filho
Professor e Historiador
"O sucesso normalmente contempla aqueles que estão ocupados demais para procurar por ele"