sábado, 30 de maio de 2009

DO MENSAGEIRO AO CELULAR II

O telégrafo cumpriu com maestria o que se propunha. As comunicações eram difíceis e demoradas. Coube a Samuel Morse (norte-americano 1791-1872), inventar o telégrafo, bem como o código que leva seu nome - Morse (Composto por associações: pontos e traços ou sinais sonoros, breves e longos).
Desde o inicio funcionou de dois modos, com ou sem fio. A tecnologia simples e perfeita de Morse permitiu a transmissão de mensagens instantâneas entre diversas regiões. 
Com um equipamento de custo não muito alto e dois operadores, era possível uma comunicação de qualidade com muita rapidez, entre qualquer dois pontos. Em1840 D. Pedro II, com 14 anos, “assume” o poder. Em 1841 o telégrafo foi instalado no Rio de Janeiro (estações de trem), chegando depois a Petrópolis (1855)*. No mesmo período foi lançado o primeiro selo pelos Correios, facilitando as postagens e movimentação de encomendas.
Em 1894, Rondon estende linhas telegráficas até o Acre. Em 1915 o Brasil já fazia parte do seleto grupo de países que usavam rádio telegrafia, com possibilidade de transmissão de fotos à distância (preto e branco e qualidade não comparável as fotos originais). Em 1917 o telégrafo passa a ser exclusivo da União.
O Brasil Império, teve todo seu desenvolvimento tecnológico baseado em concessões, a maioria para empresas americanas.

*sistema exclusivo para comunicação interna da ferrovia.
Jocicler Vieira

Nenhum comentário :

Postar um comentário

"O sucesso normalmente contempla aqueles que estão ocupados demais para procurar por ele"