sábado, 30 de maio de 2009

PIQUET CARNEIRO: QUEDA E ASCENSÃO ECONÔMICA

12 de julho de 1957 foi o dia em que o então Distrito de “Jirau”, pertencente ao município de Senador Pompeu-CE, emancipou-se e foi elevado ao grau de município, passando a se chamar “Piquet Carneiro”.

               “Piquet Carneiro” era o sobrenome de um engenheiro renomado, responsável por grandes obras em todo o Estado, como por exemplo o Açude Cedro, de Quixadá, e, à época, à serviço da RVC – Rede de Viação Cearense, foi responsável pela construção da linha de Ferro ligando Crateús a Piquet Carneiro, que passou a ser ponta de linha, fato esse que mereceu até uma nota no distante Jornal “O Estado de São Paulo”.

                Vale ressaltar que a construção da Estação Ferroviária data do ano de 1907, portanto, época em que ainda era Distrito de Senador Pompeu. Com a instalação da mesma começaram a surgir prédios e casas ao redor da Estação, que dali em diante seria um marco na evolução tanto histórica como econômica da futura Piquet Carneiro.

                A ferrovia era, naquele tempo, o meio de transporte mais ágil e cobiçado, responsável pelo escoamento da produção do país, o que fez de “Jirau” um distrito privilegiado, pois, aproveitando essa exclusividade, poderia crescer tanto quanto a evolução daquele meio.

                Mas, a verdade é que a linha ferroviária era apenas um “meio”. Para que a cidade tivesse uma evolução mais acelerada era necessário um “início” e um “fim”, ou seja, produtos para exportar e compradores interessados. O que podemos supor nesse sentido, é que mesmo Jirau sendo notavelmente um distrito protagonista, resumia-se a algumas poucas famílias com seus criados, que produziam arroz, milho, feijão, frutas, para o consumo diário, e algodão e café, que eram as estrelas da economia da época, mas não na quantidade necessária a um crescimento em maior velocidade e proporções.

                O tempo foi passando, veio a emancipação, mas quando o município acordou e reuniu forças para agir, o momento já não era o melhor, e mesmo sendo ativo economicamente, não se desenvolvia e, de certa forma, teve sua economia estagnada, até chegar ao ponto de manter-se quase que exclusivamente às custas do dinheiro dos beneficiários da Previdência Social e as opções de emprego resumiam-se a agricultura e o serviço público.

                Essa situação, que podemos com certeza lamentar, estendeu-se durante 4 décadas, e só agora, quando completa sua 5ª década de emancipação política, nosso município começa a se estruturar urbana e economicamente, encontrando-se atualmente em um ambiente em que despontam algumas culturas econômicas propícias ao desenvolvimento local,  que carregam nas costas uma grande responsabilidade: a de conduzir novamente o município pelos trilhos da tão almejada “Ordem e Progresso” que inspira o dia-a-dia de toda essa gente que carrega no peito o “Orgulho de ser Brasileiro”, espalhada por essa imensa “Terra de Papagaios”.

                Para levar a você a informação da melhor qualidade possível, o gerAção entrevistou várias pessoas, pesquisou dados antigos e recentes, e, da comparação desses dados segue um estudo de como tem se dado a evolução econômica local, o momento que passamos e as perspectivas futuras.

COMÉRCIO LOCAL CRESCE 25% AO ANO

O comércio piqueense sempre foi limitado e sem muitas opções, e, de uma certa forma, proporciona à sua população, mas, ultimamente, tem se mostrado atrativo e inovador, se adaptando as novas condições de comércio nacionais e apresentando novidades que facilitam cada vez mais a vida do consumidor, o que o encaminha a tão sonhada excelência no atendimento, que atrai os clientes e gera renda com um gostinho melhor ainda, o da satisfação de ambos os lados.

Um dos fatores que podem servir de justificativa para essa nova maneira de pensar e agir pode ser atribuída a organização dos comerciantes através da criação da Câmara de Dirigentes Lojistas de Piquet Carneiro - CDL, que tem a missão de coordenar com representatividade a integração dos agentes econômicos do comércio para interagir no processo evolutivo do segmento, preservando seus interesses coletivos com responsabilidade social, e empreender um Centro de Excelência de Serviço e Apoio ao Desenvolvimento do Comércio, ensejando, de forma auto-sustentável, plena satisfação dos usuários.

Para saber como anda o segmento logístico piqueense, o gerAção entrevistou a Presidente da CDL, Kátya Soraya Mendes da Silva.

Segundo Kátya Soraya, a atual crise financeira tem afetado o comércio local, mas ainda assim esse setor se apresenta otimista, aproveitando o momento de turbulência para “explorar a criatividade e sair dessa crise mais fortes e experientes”.

Em uma análise feita pela Presidente com alguns dos filiados, foi constatado um crescimento médio de 25% em 2008. A expectativa para 2009 é fechar o ano com baixa inadimplência, se fortalecendo cada vez mais. “Sonhamos em crescer sempre e ter um maior poder de negociação com nossos fornecedores”. Traduzindo essa expectativa em números, ela defende uma margem entre 25% a 35% este ano, longe do fantasma da recessão mundial.

Kátya chegou à presidência da CDL de Piquet Carneiro em decorrência do seu sucesso na área de vendas, seu instinto de inovação e um bom desenvolvimento em comunicação. Pedimos a ela que, a seu exemplo, desse um conselho aos novatos do ramo, ao que respondeu: Ter muita paciência nas tomadas de decisões e saber qual o momento certo de agir. Contudo, estar antenado às novas tendências de mercado é um diferencial que nos direcionará para qual caminho seguir. O fato é que devemos ter uma visão também de cliente e não somente de empresário. Aproveito aqui e deixo um convite à leitura: existe um livro muito conhecido no mercado literário, que é “O Monge e o Executivo” (James Hunter). O autor contribui muito nesta reflexão.”.

Com isso é possível concluir que o comércio de Piquet Carneiro anda com suas próprias pernas e muito bem por sinal, cabendo agora apenas aos governantes administrar a renda gerada ao município em forma de impostos, e por parte da população, basta fazer o que diz o slogan da CDL: “Valorize o comércio piqueense”.

AGROECONOMIA PIQUEENSE EM ALTA

Historicamente Piquet Carneiro tem uma “cultura econômica” em sua totalidade “agrária”. O que podemos perceber hoje no tocante a essa área, é o resultado do aperfeiçoamento desses costumes, que foram passados de pai para filho.

         Assim sendo, ninguém melhor para dizer em que passo estamos nesse setor e que perspectivas podemos alimentar, do que o atual Secretário de Agricultura Faustino Pinheiro.

          A entrevista foi realizada na sede da Secretaria de Agricultura, onde o Secretário recebeu o gerAção com muita cortesia, para uma “conversa”, podemos assim dizer, dado o desenrolar das colocações daquela tarde. Foram questionados vários tópicos da economia e desenvolvimento local, os quais você poderá conferir a seguir.

          Ao assumir a pasta da “Agricultura” em janeiro deste ano, uma das primeiras iniciativas de Faustino foi elaborar um mapeamento agroeconômico completo do município. A empreitada foi feita de maneira ágil, já sendo possível degustar os números quatro meses depois; tendo envolvido boa parte da equipe de serviço daquela secretaria composta por 24 profissionais, entre eles o Secretário, 02 Assessores, 02 engenheiros agrônomos, 10 técnicos em agropecuária e 01 agente administrativo. Com o mapeamento pronto, agora traçamos a seguir o perfil agroeconômico piqueense.

MAPEAMENTO EM NÚMEROS:

                                 

A área apícola é uma das culturas que mais cresce em Piquet Carneiro, proporcionando inclusão econômica e social para um número vários produtores. Desde 2005, quando teve início o acompanhamento desse segmento por parte do poder público, a produção do mel passou a ser organizada e em grande escala, tendo registrado um crescimento de quase 500% em apenas 4 anos, ou seja, a produção e comercialização do mel tem crescido em um acelerado ritmo de aproximadamente 125% ao ano, o que demonstra o enorme potencial do município nessa área e aponta enormes perspectivas de crescimento.

Segundo o técnico agrícola Zé Alberto, quês tem como especialidade a apicultura e faz parte da Associação de Apicultores do município, as perspectivas de crescimento para esse ano chegam a um considerável aumento de 50% da produção, atingindo a marca de 60 toneladas de mel, que serão exportadas e beneficiarão o nosso município.

Esses resultados podem ser apontados como conseqüência da organização dos produtores de mel, que agora contam com uma associação que possibilita todo esse trabalho, bem como é através da mesma que eles podem exportar e ainda vender o produto para o Governo Municipal através da Conab – Companhia Nacional de Abastecimento, que é mais um incentivo aos apicultores.

                               

Como se pode constatar no quadro acima, atualmente Piquet Carneiro tem, segundo o mapeamento, 13.600 animais divididos entre 1041 criadores/produtores.

Para você ter uma idéia das proporções que esses números representam, se dividíssemos o número de animais pela população segundo a última contagem realizada em 2007 pelo IBGE, de aproximadamente 14.736 habitantes, teríamos a inacreditável média de quase 01 bovino por pessoa. Esse fato, por si só, já representa um grande avanço para nossa economia, mas não param por aí; além da venda da carne desses animais, juntas, as 5025 matrizes bovinas produzem diariamente 14.572 litros de leite.

Uma observação relevante a se fazer nesse sentido é que nem toda essa produção encontra a sua venda em Piquet Carneiro. A maior parte desse leite é armazenada em 3 tanques de resfriamento com capacidade média para 2000 litros, instalados no município pela empresa Betânia, que recolhe a cada dois dias aproximadamente 5000 litros, pagando R$ 0,58 por litro, e ainda R$ 0,02 para cada litro armazenado nos tanques, para ajudar nas despesas de manutenção, segundo o Secretário Faustino Pinheiro.

Como uma boa parte dos produtores se encontra na Zona Rural, há ainda uma despesa média de R$ 0,06 por litro pelo transporte, reduzindo o ganho para R$ 0,52. Para estimular os produtores, a Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Ceará – SDA cobre esse valor, o que mantém a margem de lucro estável. E isso só é possível, graças ao fato de os mesmos estarem organizados em uma associação, que os propicia vários benefícios.

A previsão é de que a produção seja dobrada, com a instalação de um tanque no Sítio Monteiros (30 produtores), que já está em funcionamento, e mais 02 tanques que irão beneficiar duas novas comunidades, reduzindo as despesas e melhorando a circulação do produto.

O Presidente da Associação dos Produtores de Leite, José Valdenor Bezerra Júnior, confirma essa previsão e estima que a produção diária armazenada nos tanques poderá passar dos 3000l atuais para 6000l, atingindo a capacidade máxima do tanque instalado na sede. Ainda segundo Júnior Bezerra, o incentivo oferecido pela Empresa Betânia foi atualizado para R$ 0,03 por litro armazenado.

POR FIM...

Apesar de todas essas atividades serem de suma importância econômica para o município, talvez a que viria a trazer maiores resultados seja a produção de biodiesel, já que conta com uma mini-usina (unidade escola), com capacidade para produzir 860 mil litros de biodiesel por ano.

Atualmente, segundo o mapeamento da Secretaria de Agricultura, existem 83 produtores cadastrados, sendo destinados para o cultivo de oleaginosas uma área total de 161 hectares, compreendendo 144 hectares de mamona e 17 hectares de girassol.

Após fazer uma análise dos dados e “fatos” aqui apresentados, chegamos a conclusão de que a economia piqueense finalmente cria pernas e começa a andar; mais uma vez revivendo as condições favoráveis ao seu desenvolvimento vistas há um século, cabendo agora aos governantes, comerciantes, empreendedores e a população não deixar “o trem descarrilar novamente”.


PELOS CAMINHOS DA HISTÓRIA - 1

O TREM DA MORTE

Texto: Osmar Lucena Filho

Às margens da estrada de ferro, mais precisamente à altura do quilômetro 322 da antiga Rede de Viação Cearense – futuro leito da Transnordestina! – encontra-se um Cruzeiro, erguido no ano de 1952, por iniciativa do primeiro vigário de Piquet Carneiro, Pe. Freire (*1921+1996), e do então Prefeito Municipal de Senador Pompeu, o cidadão Acrísio da Silva Jácome (*1909+1999).  Lembremo-nos de que Piquet Carneiro era, na ocasião, distrito de Senador Pompeu.

 O “Monumento Fúnebre” em questão foi edificado em lembrança e sufrágio dos que morreram no grande acidente de trem, transcorrido nas primeiras horas da manhã do dia 17 de dezembro de 1951, uma segunda-feira, em Piquet Carneiro. Assim, os que passam por aquelas redondezas, vendo-o, podem erguer o pensamento para Deus e, no murmúrio de uma prece, entrar em sintonia com o mistério da morte, enigma maior do ser humano, à qual ninguém pode escapar.

Contudo, para quem não foi “testemunha ocular” do acidente de 1951, ou mesmo não pesquisou sobre a magnitude e repercussão deste – cuja trágica notícia chegou a terras longínquas! – torna-se impossível “avaliar” o “peso” histórico, não obstante triste,  do lamentável acontecimento.

Com, aproximadamente, uma centena de mortos, o trem de passageiro, a trafegar à aurora daquele  17 de dezembro de há 58 anos,  entrou para a História da Ferrovia no Ceará, sob o epíteto,  nada apreciável, de “O Trem da Morte”.

Segundo o jornal O Povo, principal periódico da época, a causa do desastre fôra, indubitavelmente, o excesso de velocidade que, à locomotiva,  de prefixo 612, imprimira o maquinista-condutor, de nome João Cruz, o homem sobre cujos ombros recaiu a maldição das famílias enlutadas.

Ainda segundo “O Povo”,  nos serviços ambulatoriais, no que tange às amputações de braços e pernas de grande parte dos feridos, “até serrotes comuns de carpinteiro” foram usados.  O quadro de dor pode-se revestir de contornos ainda mais fortes, se levar-se em conta que,  em face de tais intervenções cirúrgicas,   não foram usados  anestésicos...

No rol das vítimas fatais, gente que vinha de municípios do Estado da Paraíba, tais como Souza, Pombal, Cajazeiras; do Ceará,  passageiros naturais de Iguatu, Cedro, Aurora, Saboeiro, Acopiara, entre outros.

Nos cartórios locais – o de registro civil e o eclesiástico – pode-se encontrar o assentamento de óbito de algumas das vítimas.

O Cruzeiro tornou-se, no correr do tempo, meta de peregrinação; local, portanto,  ao qual  os crentes se dirigem  com o intuito de orar, de pagar promessas, de implorar, mercê de Deus, a cura dos males que lhes aflingem o corpo e a alma.

Há, infelizmente, os que deturpam a santidade daquele ambiente, banhado pelo sangue de crianças inocentes até, tornando-o uma espécie de “motel” da cidade...

Solitário às margens do leito ferroviário, o Cruzeiro, na sua linguagem silente, parece estar clamando das autoridades competentes  sua  “perene conservação”,  para que não lhe ocorra o que, de fato,  aconteceu  com o “Monumento à memória do Capitão  J. da Penha”, em Ibicuã, destruído pelos que não têm respeito pela preservação da memória e da cultura do nosso povo!

Ele, o Cruzeiro, é parte integrante da História de Piquet Carneiro!  Preservemo-lo, pois!

“Um Sonho que se Sonha Junto Vira Realidade”

Qual o jovem que um dia acorda com sede de mudar o mundo, querendo fazer uma grande revolução? Mas onde encontrar espaço em que isso é permitido? Um espaço em que a voz seja realmente ouvida e que o jovem possa ser percebido como um colaborador da sociedade hoje? Esse é um dos grandes dilemas da juventude.

         Alguns encontram refúgio nas drogas, festas, outros buscam na evolução espiritual através de uma religião. Exemplo de lugar onde é possível fazer o diferencial e, se não conseguir mudar o mundo, pelo menos revolucionar a si mesmo, são os grupos de jovens organizados.

         O movimento jovem dentro das comunidades é crescente e faz com que essa galera se comprometa mais com o bem comum.

         Os grupos de jovens para muitos representam uma oportunidade de crescer, independente da crença, e aprenda lições que serão utilizadas em todas as esferas da vida. A principal característica desses grupos é a liberdade que cada jovem tem em poder manter seu estilo, sua vontade de fazer acontecer, seu jeito de ser, pois estamos todos no mesmo barco em prol de um grande ideal.

Precisamos acreditar mais em nós mesmos e evoluir mais nas relações pessoais, seja através de orações, leitura, bate-papo...

O importante para essa galera é estar juntos, se expressar e ter a certeza que podemos conquistar nosso espaço na sociedade em que vivemos.

 

Ana Maria Vieira de Sousa

Coord. Da PJMP – Zonal IV

DO MENSAGEIRO AO CELULAR II

O telégrafo cumpriu com maestria o que se propunha. As comunicações eram difíceis e demoradas. Coube a Samuel Morse (norte-americano 1791-1872), inventar o telégrafo, bem como o código que leva seu nome - Morse (Composto por associações: pontos e traços ou sinais sonoros, breves e longos).
Desde o inicio funcionou de dois modos, com ou sem fio. A tecnologia simples e perfeita de Morse permitiu a transmissão de mensagens instantâneas entre diversas regiões. 
Com um equipamento de custo não muito alto e dois operadores, era possível uma comunicação de qualidade com muita rapidez, entre qualquer dois pontos. Em1840 D. Pedro II, com 14 anos, “assume” o poder. Em 1841 o telégrafo foi instalado no Rio de Janeiro (estações de trem), chegando depois a Petrópolis (1855)*. No mesmo período foi lançado o primeiro selo pelos Correios, facilitando as postagens e movimentação de encomendas.
Em 1894, Rondon estende linhas telegráficas até o Acre. Em 1915 o Brasil já fazia parte do seleto grupo de países que usavam rádio telegrafia, com possibilidade de transmissão de fotos à distância (preto e branco e qualidade não comparável as fotos originais). Em 1917 o telégrafo passa a ser exclusivo da União.
O Brasil Império, teve todo seu desenvolvimento tecnológico baseado em concessões, a maioria para empresas americanas.

*sistema exclusivo para comunicação interna da ferrovia.
Jocicler Vieira

O Piso é Lei. FAÇA VALER.

         A FETAMCE (Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará) e os Sindicatos de Servidores Municipais conclamam a comunidade educacional e a sociedade cearense a promover um amplo movimento em defesa da educação e de seus profissionais.

No dia 02 de abril de 2009, todos os município brasileiros se mobilizaram pelo Piso Salarial do Magistério. E nossos municípios cearenses também.

A data é marcada pelo julgamento final do STF (Supremo Tribunal Federal) da ADI 4167 (Ação Direta de Inconstitucionalidade).

O julgamento do STF dar-se-á acerca de dois únicos aspectos:

1º) possibilidade de serem somadas ao vencimento básico (salário) e as gratificações e vantagens.

2 º) determinação do cumprimento de no máximo dois terços da carga horária dos professores para desempenho de atividades em sala de aula.

MAS O SEU MUNICÍPIO JÁ POSSUI COMPROMISSOS ESTABELECIDOS PELA LEI Nº 11.738/08.

v  R$ 950,00 refere-se ao vencimento inicial de carreira para o professor de nível médio, modalidade normal, com 40 horas semanais. NOVO VALOR DO PISO: R$ 1.132,40.

v  O valor para profissionais com formação em nível médio deve servir de ponto de partida para a fixação dos vencimentos dos profissionais de nível superior ou com outros graus de formação.

v  A jornada máxima é de 40 horas semanais.

v  O piso deveria já ter sido pago em 1º de janeiro de 2009, cujo valor será integralizado em 1º de janeiro de 2010. Caso não tenha ocorrido sua implantação, esta será retroativa a janeiro de 2009.

v  O reajuste do valor segue o mesmo percentual do valor anual por aluno referente aos anos iniciais do ensino fundamental urbano, no caso, 19,2% para 2009. É preciso destacar que o projeto de lei nº 3.776/08, que visa instituir o INPC/IBGE com índice de reajuste do Piso, ainda não foi concluído na Câmara dos Deputados e também deverá tramitar no Senado.

José Valter Alves Saraiva

Secretário de Finanças da FETAMCE

APOSENTADORIA POR IDADE DO TRABALHADOR RURAL

             O município de Piquet Carneiro é, por excelência, baseado na atividade de agricultura. Sendo assim, de muita importância é levar ao conhecimento dos respectivos munícipes algumas informações que, com absoluta convicção, lhe proporcionarão vantagens tanto presentes como futuras, sobretudo por estarem as conseqüências daquelas informações diretamente relacionadas com a sobrevivência dos agricultores e seus familiares.

             Pois bem, para o sistema normativo do Regime Geral da Previdência Social Brasileira, a aposentadoria é uma espécie de benefício que tem direito o segurado ao, concomitantemente, completar uma idade fixada por lei (sessenta e cinco anos se homem e sessenta se mulher) e atingir um número mínimo de contribuições também estabelecido legalmente (a chamada carência exigida).

             Entretanto, reconhecendo a realidade econômica dos agricultores que cultivam a chamada agricultura de subsistência em regime de economia familiar (que é a atividade em que o trabalho dos membros da família é indispensável à própria subsistência e ao desenvolvimento socioeconômico do núcleo familiar e é exercido em condições de mútua dependência e colaboração, sem a utilização de empregados permanentes), o legislador brasileiro reduziu aquelas referidas idades e substituiu a contribuição financeira pela comprovação da atividade.

          Por conseguinte, para esse agricultor, que é classificado como segurado especial da previdência social, fazer jus ao benefício de aposentadoria por idade dois são os requisitos fundamentais: primeiro, que complete a idade (sessenta anos se homem e cinqüenta e cinco anos se mulher) e comprove o exercício da atividade rural durante a carência preceituada.

            Destarte, é essencial que os agricultores tomem sempre a precaução de providenciar comprovantes do exercício de sua atividade rural, como por exemplo, informar a profissão em registros públicos (nascimento, casamento...), fazer constar quando da participação de qualquer evento em órgão público, internamento em unidade hospitalar, além de outros, como cópias de contratos e de benefícios de programas governamentais.

            Por fim, uma consideração fundamental diz respeito à implantação de cadastro informatizado dos segurados urbanos da previdência social, feita pelo Ministério da Previdência Social, ainda no final do ano próximo-passado. Muito se difundiu o pronunciamento do respectivo ministro da previdência e assistência social, que o trabalhador com as informações atualizadas no Cadastro Nacional de Informações do Segurado, se aposentaria em cinco minutos. Entretanto esse sistema que permeia a previdência do trabalhador contribuinte nada diz respeito ao trabalhador rural, segurado especial. Para este, as regras continuam as mesmas de antes, ou seja, exige-se sempre a implementação da idade e a comprovação documental quando da concessão do benefício em questão, que é a aposentadoria por idade. 

 Carla Freitas da Silva

Escritório localizado na Rua Zacarias Pinheiro da Silva, 79, Centro, 1° Andar, Piquet Carneiro, Ceará.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Contato


Edição e Diagramação: Dênison Ferreira Vieira
Vendas: Ana Maria Vieira de Souza
Contatos
Denison: denison.fv@gmail.com - (88) 88233600
Comercial: Ana Maria Vieira de Souza - (88) 88378013
Colaboradores: Osmar Lucena Filho e Jocicler Vieira



O conteúdo das colunas é de responsabilidade de seus autores e não expressa necessariamente a opinião do gerAção.

“O sucesso normalmente contempla aqueles que estão ocupados demais para procurar por ele”

sábado, 9 de maio de 2009

O QUE SÃO EXPERIÊNCIAS EXTRA-CORPÓREAS?

Em todas as culturas é normal relatos de experiências extracorporais, vivências nem sempre associadas a psicopatologias
Você já deve ter ouvido falar que tem gente que, de vez em quando, sai do corpo para dar umas voltinhas por aí. Em todo o mundo, um número bastante grande de pessoas diz ter sentido seu espírito decolar do corpo e visto a si próprias como se fossem outra pessoa. Esse fenômeno é conhecido com esperiência extracorporal.




Para os esotéricos, quando dormimos, viajamos para outras dimensões. Além do corpo físico, nós teríamos também corpos sutis. A experiência extracorporal seria literalmente um passeio que um desses corpos sutis, o astral, dá sozinho enquanto o físico fica dormindo.

Embora essa hipótese não seja provável para a ciência como nós a conhecemos hoje, os médicos rconhecem que o fenômeno é um mistério. A alta incidência de narrativas em várias culturas indica que, embora alguns possam simplesmente estar inventando uma história, muitos realmente vivem essa sensação de separação do corpo.

SENSAÇÃO VERDADEIRA

Quase todos mundo um dia, ao acordar, já teve a sensação de estar desperto, mas não ter domínio sobre o corpo. Isso é perfeitamente explicável pela medicina. "Acontece durante uma fase de transição do sono para o estado de vigília", explica o neurologista Flávio Aloe, do Laboratório do Sono do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. "Por algum descompasso, a consciência acorda e a musculatura permanece inibida."

A experiência extracorporal vai além disso, é como se a consciência não só estivesse fora do corpo como razoavelmente distante dele. E ela não acontece só quando as pessoas estão dormindo. Os relatos apontam para algumas situações mais propícias como doença, estresse, meditação, hipinose, mas há até pessoas que dizem que conseguem induzir a experiência, falam em um cordão que ligaria o corpo sutil ao corpo físico durante todo o período em que se está fora.
Ao que parece, em alguns casos pode-se associar a experiência ao uso de drogas e a doenças mentais, mas pessoas saudáveis também podem passar por uma experiência extracorporal

Fonte: Revista Superinteressante. Grandes Mistérios da Ciência. 2003. Pág. 47.

COMO FUNCIONA UMA USINA HIDRELÉTRICA?

Sempre que se cria um campo magnético de intensidade variável surge a corrente elétrica que faz acender a luz de uma casa, por exemplo. Segundo a física cria-se um campo magnético movendo-se um imã (com pólos norte e sul) perto de qualquer metal. "Nas hidrelétrica, os imãs movem-se em torno de estruturas metálicas chamadas bobinas, que são fios metálicos em forma de espiral", explica o engenheiro eletrônico Paulo M. Lessa Garcia, da Companhia Energética de São Paulo (Cesp). As peças mais importantes das hidrelétricas são as turbinas, imensas estruturas com vários imãs presos a um eixo, rodeados por bobinas. Quando o eixo gira, vai criando campos magnéticos vaíáveis e, conseqüentemente, corrente elétrica.


O segredo da hidrelétrica é usar a força da água para movimentar o eixo onde estão presos os imãs. A água da parte mais alta do lago flui, por meio de dutos, até as pás que estão ligadas ao eixo, fazendo com que ele gire. Aquela quantidade enorme de água que se vê nas quedas d'água das usinas não tem nada a ver com a produção de energia. É apenas uma forma de eliminar a água excedente da parte alta do lago. A corrente elétrica produzida é captada por tubos condutores que passam por estações transformadoras para elevar sua voltagem (carga) e diminuir a perda no caminho percorrido até as residências. Antes de chegar nas casas, a corrente passa por subestações nas quais a voltagem é reduzida novamente.

Fonte: Revista Superinteressante. Dezembro de 1995. Pág. 21.

quinta-feira, 7 de maio de 2009

CONFIRMADOS 4 CASOS DA NOVA GRIPE (H1N1) NO BRASIL

BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil teve os primeiros casos da nova gripe H1N1 confirmados nesta quinta-feira pelo Ministério da Saúde. Apesar da chegada da doença ao país, inicialmente conhecida como gripe suína, o ministro José Gomes Temporão afirmou que a situação está "totalmente sob controle".

Veja os detalhes fornecidos pelo ministério sobre os quatro casos confirmados:

CASOS DE SÃO PAULO

* Um dos pacientes de São Paulo esteve no México de 17 a 22 de abril. Começou a manifestar os sintomas da gripe no dia 24, e ficou internado de 29 de abril até a última segunda-feira. Este paciente não corre risco de infectar outras pessoas, pois o período de maior risco de transmissão da doença é de dez dias. Ele passa bem e já recebeu alta.

* O segundo paciente de São Paulo esteve no Estado da Flórida, nos Estados Unidos. Ele chegou ao Brasil no dia 28 de abril e começou a manifestar os sintomas da doença no dia seguinte. Não foi internado porque, na época, a Florida ainda não era considerado área afetada pela doença. O paciente foi mantido em isolamento domiciliar e passa bem. Nenhum dos familiares manifestou os sintomas. Também já recebeu alta.

CASO DO RIO DE JANEIRO

* Este é o único paciente brasileiro que ainda está internado. Ele voltou do México no dia 3 de maio, após manifestar os primeiros sinais da doença no dia anterior, ainda fora do Brasil. Ele está desde terça-feira no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, da UFRJ, mas passa bem.

CASO DE MINAS GERAIS

* O paciente esteve no México entre os dias 22 e 27 de abril e começou a manifestar sintomas da doença durante a viagem, no dia 26. Ele foi internado no mesmo dia em que chegou ao Brasil e recebeu alta no dia 29. O paciente ficou em isolamento familiar até a última quarta-feira e passa bem. Também não corre risco de infectar outras pessoas.

(Por Ana Paula Paiva)

sexta-feira, 1 de maio de 2009

O QUE É GRIPE SUÍNA?






A gripe influenza A (H1N1), chamada anteriormente de gripe suína ou gripe porcina, é uma doença infectocontagiosa ocasionada por uma variante do vírus influenza H1N1. Apesar do nome não é transmitida pelos porcos, por isso, discute-se a mudança do nome para não ocasionar erros.
Também denominada gripe mexicana, gripe norte-americana, influenza norte-americana ou nova gripe.
A transmissão ocorre apenas entre humanos (pessoa-pessoa). Até o momento não foi registrado nenhum caso de contaminação por contato com animais mas somente pelo contato entre humanos.
O consumo de carne de porco não acarreta doença, uma vez que o vírus é inativado pelo calor. Esta afecção está sendo considerada epidêmica no México, onde o governo já anunciou 12 mortes confirmadas causadas pelo H1N1 e foram anunciados 152 casos de morte suspeitos, levando a Organização Mundial da Saúde a declarar que a doença é uma "emergência na saúde pública internacional" com grandes chances de tornar-se uma pandemia.

Um surto de gripe A (nome oficial conferido pela OMS desde 29 de Abril de 2009, também chamada gripe suína ou gripe mexicana, cujos primeiros casos ocorreram no México em meados do mês de março de 2009, veio a espalhar-se pelo mundo, tendo começado pela América do Norte, atingindo pouco tempo depois a Europa e a Oceania. O vírus foi identificado como Influenza A, subtipo H1N1, uma variante nova da gripe suína para a qual não existe uma vacina. Ele contém ADN típico de vírus aviários, suínos e humanos, incluindo elementos dos vírus suínos europeus e asiáticos. Os sintomas da doença são o aparecimento repentino de febre, tosse, dor de cabeça intensa, dores musculares e nas articulações, irritação nos olhos e fluxo nasal.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou em 25 de Abril que a epidemia é um caso de "emergência na saúde pública internacional", significando que os países em todo o mundo deverão acentuar a vigilância em relação à propagação do vírus. No dia 27 de Abril a mesma organização elevou o nível de alerta pandémico para 4, o que significa que se verifica transmissão pessoa a pessoa, com risco de surtos localizados. Dois dias depois, no dia 29, OMS eleva para 5 o nível de alerta, o que significa que há a transmissão da doença entre pessoas em pelo menos dois países com um risco de pandemia iminente. A escala da OMS vai de 1 a 6.



SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE EM BUSCA DO SELO MUNICÍPIO VERDE


Piquet Carneiro, através da sua Secretária Vera Silva, está desenvolvendo ações que visam melhorar a vida da população piqueense, e, como conseqüência galgar a conquista do reconhecimento da Secretaria Estadual do Meio Ambiente em decorrência do Programa Selo Município Verde.
“O Programa pretende identificar, anualmente, os municípios cearenses que atendam a critérios pré-estabelecidos de conservação e uso sustentável dos recursos naturais, promovendo melhor qualidade de vida para as presentes e futuras gerações.”, segundo a cartilha explicativa.
A trajetória até a premiação está dividida em três etapas: I – Inscrição e apresentação da documentação; II – Avaliação “in locu” ; III – Certificação.
Para atingir esse objetivo o município tem realizado palestras de conscientização e campanhas educativas, bem como distribuição de mudas. A arborização da sede e da Zona Rural também fazem parte desse programa, sendo que na Zona Rural há o projeto Comunidade Verde, que consiste na distribuição de mudas, realização de palestras e capacitações.
No sentido de reunir aliados nessa luta em defesa do meio ambiente, a SMMA realizou entre os dias 26 a 29 de maio a Capacitação para multiplicadores em Educação Ambiental, que contou com a assistência de 03 técnicos da SEMACE.
Para a Semana do Meio Ambiente, que acontece entre 01 a 05 de junho, está previsto o início da Campanha Educativa para Resíduos Sólidos, ou seja, o lixo das residências; inicialmente a atuação da campanha será apenas no Bairro Centro, e será realizada por estudantes, sendo que para cada rua uma escola irá disponibilizar 10 alunos, denominados de ecovoluntários. Eles serão responsáveis pela distribuição de panfletos de conscientização e conversarão com os moradores (sempre acompanhados por alguém da Secretaria), para que não joguem o lixo na rua, que guardem até que o carro do lixo passe recolhendo, já que os recipientes destinados para se desfazer desses resíduos serão retirados das ruas. O objetivo da ação é conscientizar as pessoas que é delas a responsabilidade de preservar o meio ambiente e que quando fazem isso a cidade fica mais limpa, bonita e agradável.
O Prefeito Municipal Expedito José do Nascimento, apóia as iniciativas da Secretária, e, com o seu apoio, foi criado em maio, através de lei, o Fundo Municipal do Meio Ambiente, que visa reunir todos os recursos destinados a esse fim em uma única conta, para facilitar a sua administração e dar um retorno a população em forma de investimentos.


Piquet Carneiro – CE, 04 de junho de 2009

História do Dia do Trabalho

O Dia do Trabalho é comemorado em 1º de maio. No Brasil e em vários países do mundo é um feriado nacional, dedicado a festas, manifestações, passeatas, exposições e eventos reivindicatórios. 

A História do Dia do Trabalho remonta o ano de 1886 na industrializada cidade de Chicago (Estados Unidos). No dia 1º de maio deste ano, milhares de trabalhadores foram às ruas reivindicar melhores condições de trabalho, entre elas, a redução da jornada de trabalho de treze para oito horas diárias. Neste mesmo dia ocorreu nos Estados Unidos uma grande greve geral dos trabalhadores.

Dois dias após os acontecimentos, um conflito envolvendo policiais e trabalhadores provocou a morte de alguns manifestantes. Este fato gerou revolta nos trabalhadores, provocando outros enfrentamentos com policiais. No dia 4 de maio, num conflito de rua, manifestantes atiraram uma bomba nos policiais, provocando a morte de sete deles. Foi o estopim para que os policiais começassem a atirar no grupo de manifestantes. O resultado foi a morte de doze protestantes e dezenas de pessoas feridas.

Foram dias marcantes na história da luta dos trabalhadores por melhores condições de trabalho. Para homenagear aqueles que morreram nos conflitos, a Segunda Internacional Socialista, ocorrida na capital francesa em 20 de junho de 1889, criou o Dia Mundial do Trabalho, que seria comemorado em 1º de maio de cada ano.

Aqui no Brasil existem relatos de que a data é comemorada desde o ano de 1895. Porém, foi somente em setembro de 1925 que esta data tornou-se oficial, após a criação de um decreto do então presidente Artur Bernardes.

Fatos importantes relacionados ao 1º de maio no Brasil:

- Em 1º de maio de 1940, o presidente Getúlio Vargas instituiu o salário mínimo. Este deveria suprir as necessidades básicas de uma família (moradia, alimentação, saúde, vestuário, educação e lazer)

- Em 1º de maio de 1941 foi criada a Justiça do Trabalho, destinada a resolver questões judiciais relacionadas, especificamente, as relações de trabalho e aos direitos dos trabalhadores.

Fonte: http://www.suapesquisa.com/datascomemorativas/dia_do_trabalho.htm

"O sucesso normalmente contempla aqueles que estão ocupados demais para procurar por ele"